Paciente Covid diz que prefere apanhar o vírus outra vez do que levar a vacina

   

Um paciente Covid de Louisiana prefere ir novamente para o hospital do que ser vacinado.

Scott Roe disse que “há demasiados problemas com estas vacinas” e é por isso que ele não quer levar a vacina.

Depois de contrair pneumonia devido à Covid-19, ficou rapidamente doente e foi logo enviado para o hospital.

Apesar de lutar pela sua vida, a sua mente ainda não foi mudada relativamente à vacina.

Scott disse: “Aqui estou eu a recuperar, saio daqui finalmente amanhã. Vou levar a vacina? Não.”

Ele não entrou em detalhes específicos acerca da razão pela qual se recusa a levar a vacina.

Os Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA descrevem as vacinas Covid como “seguras e eficazes”.

“Não me enfie isso pela garganta abaixo“, continuou Scott, “É o que a administração local, estadual, federal está a tentar fazer – enfiar isso pela garganta abaixo.”

“Estão a empurrar o facto de que é esse o seu objetivo, o objetivo é vaciná-lo.”

Quando lhe perguntaram se teria aproveitado a oportunidade de obter a vacina para impedir que seja hospitalizado, Scott disse que continuaria a dizer não, mesmo depois de ver como o Covid o fez doente.

Scott não é a única pessoa do Estado que parece sentir-se assim. Apenas 39 por cento dos residentes de Louisiana receberam uma dose, que por acaso é a percentagem mais baixa de qualquer estado, à exceção do Mississippi (38 por cento).

   

O Deputado Steve Scalise, um dos republicanos mais populares no Congresso que representa o 1º distrito de Louisiana, recebeu a sua primeira vacina no domingo passado (18 de Julho) e exortou os habitantes locais a levarem a vacina.

Scalise disse: “Especialmente com a variante Delta a tornar-se muito mais agressiva e vendo outro pico, era uma boa altura para o fazer.”

“Quando se fala com pessoas que dirigem hospitais, em Nova Orleães ou noutros estados, 90 por cento das pessoas no hospital com a variante delta não foram vacinadas. Esse é outro sinal de que a vacina funciona.”

Scott disse aos jornalistas que sabia de Scalise, mas recusou-se a concordar com as provas que provaram a eficácia das vacinas.

Diz-se que mais de 900 pessoas no estado estão atualmente no hospital com o coronavírus.

No estado vizinho do Alabama, um médico descreveu recentemente as cenas de desolação a que assistiu no seu hospital durante a pandemia.

A Dra. Brytney Cobia, do Alabama, EUA, foi obrigada a dizer aos doentes que estavam a morrer e que queriam uma vacina que “é demasiado tarde”.

Numa publicação na sua página do Facebook, ela disse: “Estou a admitir jovens saudáveis no hospital com infeções Covid muito graves. Uma das últimas coisas que eles fazem antes de serem entubados é implorar-me pela vacina.”

“Digo-lhes que a melhor maneira de honrar o seu ente querido é ir vacinar-se e encorajar todos os que conhecem a fazer o mesmo.”

“Eles choram. E eles dizem-me que não sabiam. Pensaram que era uma farsa. Achavam que era político.”